Postagem em destaque

PROPOSTAS E MODELOS - ENEM 2016

TODAS AS PROPOSTAS E MODELOS RELACIONADOS NESTA POSTAGEM SÃO DO AUTOR DO BLOG E NÃO PODEM SER COMERCIALIZADOS EM MATERIAL DIDÁTICO VIRTUAL ...

30 de jul de 2012

Proposta de Dissertação


PROVA DE REDAÇÃO

Para escrever sua redação, escolha um dos temas a seguir e siga as orientações da proposta.
________________________________

Tema 1

Tema: A difícil necessidade de amadurecer

Leia os textos de apoio.

TEXTO 1

Os alunos do 3º ano de uma das melhores escolas de ensino médio dos Estados Unidos, a Wellesley High School, em Massachusetts, estavam reunidos, numa tarde ensolarada no mês passado, para o momento mais especial de sua vida escolar, a formatura. Com seus chapéus e becas coloridos e pais orgulhosos na plateia, todos se preparavam para ouvir o discurso do professor de inglês David McCullough Jr. 

Esperavam, como sempre nessas ocasiões, uma ode a seus feitos acadêmicos, esportivos e sociais. O que ouviram do professor, porém, pode ser resumido em quatro palavras: vocês não são especiais. Elas foram repetidas nove vezes em 13 minutos. (...)

A reação ao discurso do professor McCullough pode parecer apenas mais um desses fenômenos de histeria americanos. Mas a verdade é que ele tocou numa questão que incomoda pais, educadores e empresas no mundo inteiro – a existência de adolescentes e jovens adultos que têm uma percepção totalmente irrealista de si mesmos e de seus talentos. Esses jovens cresceram ouvindo de seus pais e professores que tudo o que faziam era especial e desenvolveram uma autoestima tão exagerada que não conseguem lidar com as frustrações do mundo real. “Muitos pais modernos expressam amor por seus filhos tratando-os como se eles fossem da realeza”, afirma Keith Campbell, psicólogo da Universidade da Geórgia e coautor do livro Narcisism epidemic (Epidemia narcisista), de 2009, sem tradução para o português. “Eles precisam entender que seus filhos são especiais para eles, não para o resto do mundo.”

Em português, inglês ou chinês, esses filhos incensados desde o berço formam a turma do “eu me acho”. Porque se acham mesmo. Eles se acham os melhores alunos (se tiram uma nota ruim, é o professor que não os entende). Eles se acham os mais competentes no trabalho (se recebem críticas, é porque o chefe tem inveja do frescor de seu talento). Eles se acham merecedores de constantes elogios e rápido reconhecimento (se não são promovidos em pouco tempo, a empresa foi injusta em não reconhecer seu valor). Você conhece alguém assim em seu trabalho ou em sua turma de amigos? Boa parte deles, no Brasil e no resto do mundo, foi bem-educada, teve acesso aos melhores colégios, fala outras línguas e, claro, é ligada em tecnologia e competente em seu uso. São bons, é fato. Mas se acham mais do que ótimos.

http://revistaepoca.globo.com/Sociedade/noticia/2012/07/por-que-educacao-moderna-criou-adultos-que-se-comportam-como-bebes.html


TEXTO 2

O narcisismo tem o seu nome derivado de Narciso e ambos derivam da palavra Grega narke, "entorpecido" de onde também vem a palavra narcótico. Assim, para os gregos, Narciso simbolizava a vaidade e a insensibilidade, visto que ele era emocionalmente entorpecido às solicitações daqueles que se apaixonaram pela sua beleza. Mas Narciso não simboliza apenas mera negatividade: "o mito de Narciso representa (senão para os gregos ao menos para nós) o drama da individualidade"; "ele mostra, isto sim, a profundidade de um indivíduo que toma consciência de si mesmo" em si mesmo e perante a si mesmo, ou seja, no lugar onde experimenta os seus dramas humanos (Cf.Bibliografia, Spinelli, Miguel, p.99).
http://pt.wikipedia.org/wiki/Narciso#Narcisismo

TEXTO 3

O termo “responsabilidade” tem origem no grego "respon", que significa independência, e no latim "sabili", que significa sábio. Remete, portanto, à obrigação que o indivíduo tem de responder pelas próprias ações.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Responsabilidade

  
Tema 2

Tema: A Identidade do Homem.

Leia os textos de apoio

TEXTO 1

Homem não chora. Homem não sente dor. Homem é forte. Desde criança, os homens se habituaram a acreditar nessas célebres frases ditas pela sociedade. E pelos próprios pais.
Muitos levam essa teoria tão a sério que se sentem verdadeiros super-homens. Acima do bem e do mal, e da própria saúde. Esse é um dos principais motivos culturais que fazem com que os homens fujam dos médicos como o diabo da cruz. Outro, menos heroico, é que eles sentem medo. Medo de que os doutores de branco descubram alguma doença adormecida nesses corpos de “aço”.
Mário Paranhos, do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de São Paulo, diz que “não ir ao médico dá segurança psicológica. Mas a realidade é outra”. De fato, a realidade é bem diferente. Pesquisas do Ministério da Saúde mostram que, do total de pessoas entre 20 e 59 anos que morrem no país, 68% são do sexo masculino. E mais, de acordo com o IBGE, os homens vivem, em média, sete anos a menos do que as mulheres.
(...)
Os médicos que cuidam do sexo masculino acreditam que campanhas promovidas pela Política Nacional de Saúde do Homem  são fundamentais para a saúde desse segmento da sociedade, já que, culturalmente, o homem não é educado para se cuidar. Ao contrário das mulheres, que desde a adolescência são levadas pela mãe ao ginecologista, os meninos, depois que passam da fase de ir ao pediatra, só vão ao médico quando estão doentes.
É o caso do publicitário Guilherme Gouveia, 48 anos. Há cinco anos ele começou a sentir tonturas e cansaço cada vez que fazia um esforço simples, como subir escadas. Meses depois, ele decidiu procurar um cardiologista, que lhe pediu uma bateria de exames. Todos negativos.
Mais uns meses se passaram, e Guilherme teve uma infecção urinária. Entre os exames pedidos, um hemograma revelou que ele estava com uma espécie rara de leucemia e que precisaria urgentemente de um transplante de medula. Passou um mês no hospital recebendo quimioterapia.
- Agora estou sendo obrigado a ir ao médico, tomei um susto. No início, ia uma vez por mês, agora, uma vez por ano.
Para Clineu Almada Filho, geriatra da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), “o ideal é que o pediatra fosse automaticamente substituído por um hebiatra (especialista em adolescente), um clínico geral ou um urologista, para que o jovem possa receber as mesmas orientações que as meninas recebem”. José Carlos Almeida concorda.
Adaptado de reportagem veiculada em: http://noticias.r7.com/saude/noticias/homens-nao-vao-ao-medico-e-morrem-mais-cedo-que-as-mulheres-20091004.html

TEXTO 2


http://www.google.com.br/imgres?q=marcha+das+vadias&hl=pt-

TEXTO 3

Hoje aqui, oiando pra vancê meu pai,
Tô me alembrando quanto tempo faz
Que pela primeira vez na vida, eu chorei.
Não foi quando nasci pru que sei que vim berrando...
E disso ninguém se alembra, não.
Foi quando um dia eu caí...levei um trupicão,
Eu era criança. Me esfolei, a perna me doeu,
Quis chora, oiei pra vancê, que esperança.
Vancê não correu pra do chão me alevanta.

Só me oiô e me falô:
- Que isso, rapaz ? Alevanta já daí...
HOMI NÃO CHORA.

-            Rolando Boldrin

  
PROPOSTA DE REDAÇÃO

Com base na leitura dos textos motivadores de cada tema e nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em norma culta escrita da língua portuguesa sobre o tema 1 ou 2, apresentando experiência ou proposta de ação que contribuiria para melhorar os aspectos negativos a que eles se relacionam. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

-          Desenvolva seu texto em prosa, atribuindo-lhe um título.
-          Sua dissertação deverá ter no mínimo 15 e no máximo 30 linhas.
-          Não utilize os exemplos específicos dos textos de apoio.

Na folha definitiva marque o tema escolhido.




EXPECTATIVA DE REDAÇÃO PARA O PRIMEIRO TEMA
  
Espera-se que o aluno escreva sobre a importância da maturidade como um processo de paulatina emancipação do indivíduo que naturalmente é levado a assumir responsabilidades na vida adulta. É importante que, ao construir sua tese e argumentos, o autor da redação procure investigar quais são as causas e consequências relacionadas ao processo de amadurecimento do adolescente e do jovem, de modo que, até certo ponto, com base em suas experiências individuais (sem que as torne explícitas no texto), ele demonstre compreender de que forma o amadurecimento pode ser estimulado pelos pais e sociedade. Esse aspecto do texto é importante, pois é a partir dele que será possível atender à proposta de “apresentar experiência ou proposta de ação que contribua para melhorar os aspectos negativos” relacionados à imaturidade tardia da qual tratam os textos de apoio.
O aluno deverá ter um cuidado especial para não transformar uma redação sobre “necessidade de amadurecer” em um texto sobre “imaturidade”.

Alguns aspectos ligados ao tema que podem ser levados em conta:

- O amadurecimento faz parte do processo de transformação biológico e psicológico pelo qual todas as pessoas passam a partir da infância, passando pela adolescência, até a fase adulta. Ele não se encerra na fase adulta, pois cada nova experiência pode ser aproveitada para a transformação do ser na aquisição de conhecimento e sabedoria, afetando sua forma de relacionar-se consigo mesmo e com o próximo.

- O amadurecimento ocorre quando o indivíduo se vê estimulado pelos pais, professores, amigos e sociedade a enfrentar dificuldades e desafios a partir dos próprios esforços, demonstrando a si mesmo e aos outros sua capacidade de lidar com as adversidades e as responsabilidades que vai assumindo ao longo da vida.

- Assim como o amadurecimento pode ser postergado, graças à superproteção dos pais, ele pode ocorrer precocemente quando crianças se vêm afastadas do universo lúdico infantil para assumir responsabilidades de adultos, como criar os próprios irmãos, fazer a própria comida, limpar a casa e até contribuir com os rendimentos domésticos.

- Os desafios impostos pelo intenso ritmo de trabalho cotidiano e pela sensação de insegurança própria aos grandes centros urbanos contribuem para que as pessoas assumam um modo de vida que as leva a superproteger seus filhos.

- A preocupação mais intensa do Estado em garantir os direitos da criança e do adolescente, ao ser equivocadamente interpretada, tem gerado inversões de valores no relacionamento entre adultos e jovens, afetando relações destes tanto com as atividades domésticas, que o ajudariam a desenvolver o senso de responsabilidade e disciplina, quanto com o  ambiente escolar e mercado de trabalho, que o auxiliariam a relacionar-se de maneira construtiva e saudável com pessoas de fora de seu ambiente doméstico, obrigando-o a assumir uma postura mais madura por não contar com a complascência dos familiares.

- Se o amadurecimento, por um lado, exige responsabilidade e disposição para enfrentar pequenos e, às vezes, complexos sacrifícios, por outro, contribui com o desenvolvimento da autoestima e sentimento de independência e autorrealização de quem passa por esse processo.


EXPECTATIVA DE REDAÇÃO PARA O SEGUNDO TEMA

Espera-se que o aluno escreva sobre o processo de construção da identidade masculina, o qual determina culturalmente e psicologicamente o papel do homem na sociedade atual. Ao desenvolver o tema, deve-se considerar quais seriam as causas e consequências desse discurso de gênero, que permeia as relações sociais e intrapessoais do homem, afetando o modo como ele age com pessoas do sexo oposto, com pessoas do mesmo sexo e consigo mesmo.
Abordar a questão da violência doméstica e contra a mulher, a mortalidade de jovens do sexo masculino e os problemas de saúde desencadeados por atitudes estimuladas pelo conceito do que é “ser homem” é uma boa estratégia para discorrer-se sobre o tema.



2 comentários:

Anônimo disse...

Professor, qual é o lado certo dessa história:

*leia o colunista e depois os três comentários

http://www1.folha.uol.com.br/colunas/gilbertodimenstein/1135006-somos-refens.shtml

Anônimo disse...

A resposta não coube aqui.
Por favor, clique no link.

QUIZ: POR QUE OU POR QUÊ?

Havendo dificuldade em visualizar o quiz, clique no link abaixo: