Postagem em destaque

PROPOSTAS E MODELOS - ENEM 2016

TODAS AS PROPOSTAS E MODELOS RELACIONADOS NESTA POSTAGEM SÃO DO AUTOR DO BLOG E NÃO PODEM SER COMERCIALIZADOS EM MATERIAL DIDÁTICO VIRTUAL ...

18 de ago de 2012

Enem / Comentários


Exame Nacional do Ensino Médio – Enem
                       
O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é uma prova criada em 1998 pelo Ministério da Educação do Brasil, sendo utilizada como ferramenta para avaliar a qualidade geral do ensino médio no país. Posteriormente, o exame começou a ser utilizado como exame de acesso ao ensino superior em universidades públicas brasileiras através do SiSU (Sistema de Seleção Unificada). O Enem é o maior exame do Brasil, que conta com mais de 4,5 milhões de inscritos divididos em 1.698 cidades do país.
A prova também é feita por pessoas com interesse em ganhar pontos para o ProUni (Programa Universidade para Todos) e, a partir de 2009, passou a servir como certificação de conclusão do ensino médio em cursos de Educação de Jovens e Adultos (EJA), antigo supletivo, substituindo o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja).

História

Criado em 1998 durante a gestão do ministro da educação Paulo Renato Souza, no governo Fernando Henrique Cardoso, o Enem teve por princípio avaliar anualmente o aprendizado dos alunos do ensino médio em todo o país para auxiliar o Ministério da Educação na elaboração de políticas pontuais e estruturais de melhoria do ensino brasileiro através dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) do Ensino Médio e Fundamental, promovendo alterações nestes conforme indicasse o cruzamento de dados e pesquisas nos resultados do Enem. Foi a primeira iniciativa de avaliação geral do sistema de ensino implantado no Brasil.
O primeiro modelo de prova do Enem, utilizado entre 1998 e 2008, tinha 63 questões aplicadas em um dia de prova.
No ano de 2009, a prova do Enem teve de ser cancelada poucos dias antes de sua realização devido ao roubo de cadernos de prova e o vazamento de seu conteúdo, revelando fragilidade na segurança do exame.

Novo Enem

Em 2009, o ministro da educação Fernando Haddad apresentou a proposta de unificar o vestibular das universidades federais utilizando um novo modelo de prova para o Enem, argumentando que o vestibular tradicional desfavorece candidatos que não podem se locomover pelo território. Assim, um jovem que quisesse prestar Dança e tivesse problemas financeiros, dificilmente poderia participar de processos seletivos de diferentes faculdades, tendo suas chances de aprovação diminuídas. Por outro lado, as federais localizadas em Estados menores ficariam restritas aos candidatos de suas regiões.

Participantes

A nota do Enem pode ser utilizada como acesso ao ensino superior em universidades brasileiras que aderiram ao Enem como forma única ou parcial de seleção. Cada universidade tem autonomia para aderir ao novo Enem conforme julgue melhor. Nos mesmos moldes do ProUni, o Sistema de Seleção Unificada (SiSU) é totalmente on-line e permite ao estudante escolher cursos e vagas entre as insitituições de ensino superior participantes que utilizarão o Enem como única forma de ingresso.
A nota também é utilizada por pessoas com interesse em ganhar pontos para o Programa Universidade para Todos (ProUni).
A participação na prova serve como certificação de conclusão do ensino médio para pessoas maiores de 18 anos de idade.

Competências e habilidades

O Enem é estruturado a partir de 4 competências definidas como modalidades estruturais da inteligência, ações e operações que utilizamos para estabelecer relações com e entre objetos, situações, fenômenos e pessoas que desejamos conhecer; e 21 habilidades definidas como decorrentes das competências adquiridas e que se referem ao plano imediato do “saber fazer”, articulando-se por meio das ações e operações.

Adaptado de:http://pt.wikipedia.org/wiki/Exame_Nacional_do_Ensino_M%C3%A9dio


AS COMPETÊNCIAS AVALIADAS

Dominar linguagens

Dominar a norma culta da língua portuguesa e fazer uso da linguagem matemática, artística e científica.

Compreender Fenômenos

Construir e aplicar conceitos das várias áreas do conhecimento para a compreensão de fenômenos naturais, de processos histórico-geográficos, da produção tecnológica e das manifestações artísticas.

Enfrentar Situações-Problema

Selecionar, organizar, relacionar, interpretar dados e informações representados de diferentes formas, para tomar decisões e enfrentar situações-problema.

Construir Argumentação

Relacionar informações, representadas em diferentes formas, e conhecimentos disponíveis em situações concretas, para construir argumentação consistente.

Elaborar Proposta

Recorrer aos conhecimentos desenvolvidos na escola para elaboração de propostas de intervenção solidária na realidade, respeitando os valores humanos e considerando a diversidade sociocultural.

Compreende, ainda, a competência de ler, compreender, interpretar e produzir textos no sentido amplo do termo, envolvendo todas as áreas e disciplinas que compõem a atividade pedagógica da escola. Pressupõe, portanto, instrumental de comunicação e expressão adequados tanto para a compreensão de um problema matemático quanto para a descrição de um processo físico, químico ou biológico e, mesmo, para a percepção das transformações de espaço/tempo da história, da geografia e da literatura.

http://www.mundovestibular.com.br/articles/128/1/CONHECA-AS-5-COMPETENCIAS-AVALIADAS-NO-ENEM/Paacutegina1.html

PROPOSTA DE REDAÇÃO DO ENEM COMENTADA

                        Propõe-se que a partir do conhecimento dos comentários feitos para a proposta a seguir, faça-se uma redação com o tema apresentado.

Com base na leitura dos seguintes textos motivadores e nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em norma culta escrita da língua portuguesa sobre o tema Valorização do Idoso, apresentando experiência ou proposta de ação social, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, Argumentos e Fatos para defesa de seu ponto de vista.

ESTATUTO DO IDOSO

Art. 3º- É obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do Poder Público assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária. [...]
Art. 4º- Nenhum idoso será objeto de qualquer tipo de negligência, discriminação, violência, crueldade ou opressão, e todo atentado aos seus direitos, por ação ou omissão, será punido na forma da lei.

Disponível em: www.mds.gov.br/suas/arquivos/estatuto_idoso.pdf. Acesso em: 07 maio 2009.

 O aumento da proporção de idosos na população é um fenômeno mundial tão profundo que muitos chamam de “revolução demográfica”. No último meio século, a expectativa de vida aumentou em cerca de 20 anos. Se considerarmos os últimos dois séculos, ela quase dobrou. E, de acordo com algumas pesquisas, esse processo pode estar longe do fim.
 Disponível em: http://www.comciencia.br/reportagens/envelhecimento/texto/env16.htm. Acesso em: 07 maio 2009.

Idoso é quem tem o privilégio de viver longa vida...
... velho é quem perdeu a jovialidade.
[...]
A idade causa a degenerescência das células...
... a velhice causa a degenerescência do espírito.
Você é idoso quando sonha...
... você é velho quando apenas dorme...
[...]

Disponível em: http://www.orizamartins.com/ref-ser-idoso.html. Acesso em: 07 maio 2009.

Comentário:

O enunciado deu a oportunidade ao candidato de não se limitar a um recorte temático. O examinador pediu para dissertar sobre a Valorização do Idoso, apresentando experiência ou proposta de ação social, que respeite os direitos humanos. O eixo cognitivo – elaborar sugestões de interferência na realidade, exigida pela proposta do Enem, está claro na proposta de redação, quando se pede para indicar uma ação social que respeite o direito do idoso.
A habilidade 1 e 2 são exigidas - I. Dominar linguagens (DL): dominar a norma culta da Língua Portuguesa e fazer uso das linguagens matemática, artística e científica e das línguas espanhola e inglesa; II. Compreender fenômenos (CF): construir e aplicar conceitos das várias áreas do conhecimento para a compreensão de fenômenos naturais, de processos histórico-geográficos, da produção tecnológica e das manifestações artísticas.
Percebe-se isso, pois o caput da questão pede para o aluno redigir texto dissertativo-argumentativo em norma culta escrita da língua portuguesa, sobre o tema, apresentando experiência ou proposta de ação social, que respeite os direitos humanos. O candidato necessita conhecer a estrutura da dissertação, o rol de argumentos, como o de provas concretas, de autoridade, do consenso, de raciocínio lógico. Precisa também realizar previamente um projeto de texto, selecionar, organizar e relacionar, de forma coerente e coesa, os argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.
Como textos geradores, a prova apresentou dois artigos do Estatuto do Idoso, um fragmento sobre o crescimento do número de idosos a cada ano e um poema que diferencia a expressão velho do termo idoso. Há ainda uma ilustração.

Sugestões: o candidato poderia:

1. focar sua tese e seus argumentos na comparação entre a legislação que assegura os direitos  à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária – e a realidade factual, indicando experiências efetivas ou propostas de solução social para a situação – problema. É interessante interpretar a lei, explicando que a família, a comunidade, a sociedade, o Poder Público são os responsáveis por assegurar os direitos elencados. Portanto, o Poder Judiciário poderá exigir, a qualquer tempo, a manutenção dos direitos fundamentais desses indivíduos, ou seja, a família tem a obrigação de sustentá-los (filhos, por exemplo) e na impossibilidade desta, a comunidade ou o Poder Público deverão assumir tal dever;
2. expressar que, historicamente, a sociedade já valorizou mais o ancião, pois ele era o detentor do conhecimento, das tradições e tinha mais experiência. Hoje, vivemos em uma sociedade hedonista, instantânea, que busca o prazer imediato;
3. aproveitar o conceito de velho e de idoso do poema, mostrando que a idade não é empecilho para as pessoas serem produtivas;
4. mostrar a urgência de se solucionar os problemas do idoso, visto que a população tem uma expectativa de vida cada vez maior.

Intervenções viáveis:

1.ensinar nas escolas de EF e EM a legislação e punição prevista, o que levaria à conscientização da população desde a tenra idade e ao consequente respeito pelo idoso;
2. incentivo à formação de associações e organizações de idosos;
3. incentivo fiscal às empresas que adotarem programas de valorização do idoso, tais como financiamento de ações como, por exemplo, ensino de informática, atividades artísticas, artesanais, esportivas e intelectuais;
4.exigir do Poder Público acompanhamento psicológico específico para os idosos, para que consigam resgatar a capacidade de sonhar, de criar e realizar projetos. 

http://www.sprweb.com.br/mod_app/questao_nav_cache.php





Nenhum comentário:

QUIZ: POR QUE OU POR QUÊ?

Havendo dificuldade em visualizar o quiz, clique no link abaixo: