Postagem em destaque

PROPOSTAS E MODELOS PARA ENEM

TODAS AS PROPOSTAS E MODELOS RELACIONADOS NESTA POSTAGEM SÃO DO AUTOR DO BLOG E NÃO PODEM SER COMERCIALIZADOS EM MATERIAL DIDÁTICO VIRTUAL ...

29 de out de 2016

MODELO ESTILO ENEM: BULLYING

PARADIGMA ESTILO ENEM – TEMA: BULLYING

                                               Sociedade no espelho

        “O inferno são os outros” – embora o filósofo francês contemporâneo Jean Paul Sartre não tenha utilizado essa máxima para referir-se especificamente à violência, ela pode ser facilmente aplicada às vítimas de intimidação sistemática provocada por indivíduos ou grupos. Nesse sentido, não são raros os casos de agressões físicas e psicológicas testemunhadas ostensivamente em escolas e, atualmente, veiculadas com certa frequência em redes sociais. Sendo assim, independente de classe ou origem dos envolvidos com o problema, tanto o bullying quanto o cyberbullying evidenciam a existência de uma cultura de violência fortemente enraizada no universo escolar, a qual precisa ser urgentemente combatida.
        Contudo, diferente do que se costuma imaginar, eventos de assédio moral entre crianças e adolescentes não se solucionam apenas com o emprego de medidas punitivas. Isso porque deve-se levar em conta que pessoas dessa faixa etária estão em processo de desenvolvimento físico, psicológico e moral, sem dispor de consciência plena acerca das consequências dos próprios atos. Não fosse o bastante, a exemplo do que já bem esclarece a Psicologia Comportamental, jovens aprendem pela imitação das atitudes dos adultos e de modelos disseminados pela mídia, somado às experiências relativas à criação de identidade de grupo, para o qual liderança e popularidade são de extrema importância.
        Por esse motivo, são complexos os fatores que contribuem para originar, entre jovens aparentemente inocentes, tanto algozes contumazes quanto vítimas indefesas. Apesar disso, sabe-se que as causas do bullying envolvem elementos bem conhecidos, como a questão da autoafirmação, da baixa autoestima, da competitividade, dos paradigmas de beleza, da discriminação racial, da homofobia e da gordofobia. Ou seja, é mais do que evidente que as instituições de ensino mostram-se como um microcosmo social, a exemplo de um espelho do ambiente no qual elas se inserem.
        Assim sendo, estabeleceu-se um consenso entre pedagogos e psicólogos: o esforço para solucionar os casos de intimidação e agressão entre alunos passa obrigatoriamente pela ação conjunta de diretores, coordenadores, professores e pais. Para tanto, é essencial haver aulas e dinâmicas destinadas a trabalhar valores como empatia, compaixão e altruísmo. Ademais, tais medidas podem ser potencializadas com a contribuição do Ministério da Educação e das secretarias de ensino, fornecendo o material e treinamento necessários aos educadores e membros das comunidades escolares. Somado a isso, a mídia também pode contribuir com a sensibilização da sociedade em relação a esse tema.


Nenhum comentário:

QUIZ: POR QUE OU POR QUÊ?

Havendo dificuldade em visualizar o quiz, clique no link abaixo: