Postagem em destaque

PROPOSTAS E MODELOS PARA ENEM

TODAS AS PROPOSTAS E MODELOS RELACIONADOS NESTA POSTAGEM SÃO DO AUTOR DO BLOG E NÃO PODEM SER COMERCIALIZADOS EM MATERIAL DIDÁTICO VIRTUAL ...

19 de fev de 2017

MODELO DE ARTIGO DE OPINIÃO - APROPRIAÇÃO CULTURAL


Zeitgeist, internet e cultura de massa

O conceito de Zeitgeist ou “espírito de uma época” fatalmente dá-nos o que pensar. Sem dúvida, a internet fundou uma nova era e, consequentemente, um novo espírito. Assim, um conceito há muito conhecido das Ciências Sociais deixou de servir para descrever um fenômeno histórico e sociológico para tornar-se expressão de acusação de grupos cuja voz reverbera sobretudo no indômito espaço digital. Refiro-me ao termo apropriação cultural.

É nesse contexto que Coldplay, Beyoncé, Selena Gomez – no âmbito internacional – e a cantora Anitta, no Brasil, por exemplo, receberam duras críticas. Contudo, é interessante observar que tanto a banda inglesa quanto as cantoras representam o universo da música pop, conhecida pela característica de mesclar elementos culturais de diferentes matrizes. Esse mesmo gênero musical também possui íntimas relações com a chamada cultura de massa, responsável por conquistar públicos de milhões de pessoas, dentre as quais internautas de todo o mundo.

Sendo assim, ainda que muitas críticas sejam válidas e dignas de discussão, outras são discutíveis, uma vez que elementos culturais semelhantes surgem em diferentes culturas e com diferentes significados, de modo a invalidar, em muitos casos, a ideia de que existe exatamente um grupo que detenha o monopólio de uma expressão cultural. Só para citar um clássico exemplo motivo de polêmica, o turbante utilizado no Candomblé com um significado específico, é apenas um utensílio para o povo berbere do deserto, para muçulmanos, no oriente médio, e pode ter diferentes significados na Índia.

A essa questão, soma-se outra que não pode ser ignorada. Não somente eu como você, leitor, vivemos em uma sociedade de consumo globalizada, na qual desde objetos até ideias transformam-se em produtos, mercadoria, que selecionamos conforme nossos gostos. Nesse sentido, não costumamos nos perguntar se o uso desse símbolo ou aquele adereço, ou mesmo aquela palavra ou conceito, foi apropriado de uma minoria e esvaziado de sentido. Fazê-lo seria tornar a vida contemporânea quase impraticável. Assim, o único modo de protestar contra a cultura de massa seria deixar de consumi-la. Faço, portanto, o convite, quem estiver disposto fique à vontade para desligar seus televisores e desconectar-se da internet.



MAIS CONTEÚDO PARA REFLEXÃO:




                

Um comentário:

Unknown disse...

https://youtu.be/XrH4MzQygTU

QUIZ: POR QUE OU POR QUÊ?

Havendo dificuldade em visualizar o quiz, clique no link abaixo: